domingo, 5 de abril de 2009

Bombeiros

O serviço de "inspecção de incêndios e telephones"
no quartel do convento de S. Domingos (ca. 1910-20)
Antigo quartel inaugurado em 1920
na Estrada Coelho do Amaral - hoje museu dos bombeiros

Em 1851 os serviços de incêndio foram atribuídos às forças militares portuguesas. Na altura existia uma bomba no quartel S.Francisco pertença do Batalhão de Artilharia. Foram ainda estabelecidos os sinais de aviso de incêndio, por dois tiros seguidos de canhão, disparados da Fortaleza do Monte.
Em 1858 foram estabelecidas companhias de cules em cada bairro, sendo obrigados a apresentar-se no Largo do Senado, para o serviço de bombas, sempre que houvesse deflagração de incêndio. Passou a haver sinais, a içar na Fortaleza do Monte, a seguir aos tiros de aviso, por forma a definir o local do incêndio.
Em 1883 houve uma profunda remodelação. Foi aprovado e posto em execução o regulamento do Serviço dos Incêndios em Macau, formando um corpo activo de bombeiros com mais de 60 pessoas. Na altura, a Inspecção de Incêndios ficava instalada no Quartel do Convento de S. Domingos.
Em 1916 os bombeiros possuiam 4 bombas a vapor, 2 bombas braçais, 3 viaturas de material (pronto-socorro), 1 auto-escada, 1 viatura de sarilho e 2 viaturas para carvão e as seguintes instalações: Estação n° 1 (Central) em S. Domingos. Estação n° 2 na Avenida Almirante Sérgio. Estação n° 3 na Av. Horta e Costa. Nas ilhas Posto de Incêndio da Taipa e Posto de Incêndio de Coloane.
Em 1919 o Corpo de Bombeiros que deixou de estar anexo à Repartição das Obras Públicas. Em 1920 os serviços de incêndios foram transferidos para o Leal Senado, sendo os das ilhas para a Comissão Municipal da Taipa e Coloane. Foi ainda aprovado o projecto da construção das novas instalações para o Corpo de Bombeiros junto à Estrada Coelho do Amaral.
Três anos depois voltou à Administração e passou a designar-se Corpo de Salvação Pública, ficando, além da extinção de incêndios e socorro em casos de sinistro, com as funções da Brigada Sanitária para o combate aos agentes propagadores de doencas endemo-epidémicas, o serviço de administração e distribuicao da água salgada, a condução de feridos e sinistrados e os que lhe vierem a ser atribuídos. Os cargos de Comandante, Ajudante e Chefe de Divisão eram considerados de comissão de serviço militar, quando exercidos por militares. Deixaram de ser dados sinais com tiros de artilharia para aviso de incêndio. O novo Quartel da Estrada Coelho do Amaral foi oficialmente inaugurado em 3 de Outubro.
Em 1936 o Corpo de Salvação Pública ficou enquadrado na Repartição Técnica das Obras Públicas, para efeitos administrativos e fiscalização.
Em 1939 o Corpo passou a ser uma corporação militarizada. Terminada a guerra, em 1946 voltaram a transitar para o Leal Senado, os serviços do Corpo de Salvação Pública, passando assim a Corpo de Bombeiros Municipais. No mesmo ano, foi publicado novo Regulamento, continuando a ser uma corporação militarizada.
Em 1976 por Decreto-Lei 705/75, de 19 de Dezembro, que entrou em vigor em 01Jan76, foram reorganizadas as forças militares e militarizadas, que passaram a constituir as Forças de Segurança de Macau, das quais, passou a fazer parte o Corpo de Bombeiros.
Em 1994 foram ampliadas as instalações da Sede na Estrada Coelho do Amaral.

Sem comentários:

Publicar um comentário