segunda-feira, 27 de abril de 2009

Viajar de avião para Macau a partir de 1940

Viajar para Macau a partir de Lisboa (e vice-versa) foi, desde sempre, uma aventura devido à enorme distância (quase 20 mil quilómetros). A via marítima foi a mais utilizada até à decada de 1950 quando o avião começou a ganhar importância. No início do século XX foram os 'vapores' franceses da "carreira do oriente" que serviram os passageiros que de Lisboa queriam ir para Macau.
Já na década de 20 do século XX (1922) surgiu a Companhia Colonial de Navegação (mais tarde compania Nacional de Navegação, ambas extintas em 1974. A CCN tinha os navios com as chaminés amarelas e verdes enquanto a CNN tinha os navios com chaminés pretas.
As suas frotas de navios serviam as diferentes rotas para ligar a metrópole às diversas províncias ultramarinas em áfrica e na ásia. Viagens longas que o avião veio 'encurtar'. Ainda que nos primeiros tempos estas ligações aéreas fossem marcadas por diversas paragens para reabastecimento e trocas de avião. As paragens aconteciam em Bangkok, Rangum, Bombaim,Teerão, Atenas, Roma e Londres. Hong Kong era o destino final seguindo depois via marítima rumo a Macau para mais uma viagem de cerca de duas horas.
O aeroporto de Kai Tak (de 1925 - embora a pista fosse sofrendo alterações, a mais significativa em 1958 - a 1998) foi um marco da aviação: pela sua localização que obrigava a manobras difíceis na aproximação... em dias de tufão, imaginem! Foi substituído pelo aeroporto de Chep Lap Kok. A pista de aproximação mais usada em kai tak era a 13 na baía de Kowloon.
Uma das empresas mais em voga logo na década de 1940 foi a British Overseas Airways Corporation, também conhecida por sua sigla, BOAC, foi uma empresa aérea do Reino Unido. Surgiu como fusão da British Airways Ltd. e da Imperial Airways no ano de 1939. Em 1974 encerrou a sua actividade ao fundir-se com a British European Airways.

Sem comentários:

Publicar um comentário