sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A expedição de Lapérouse passou por Macau (1787)

Entrou na Marinha aos 15 anos, em 1756. Com 39 anos é feito capitão de navio, devido à sua brilhante trajectória nesta guerra. Após o Tratado de Paris, o ministro da Marinha de Castries e o rei Luís XVI escolheram-no para dirigir una expedição à volta do mundo, cujo objectivo era completar os descobrimentos de James Cook no Oceano Pacífico. A expedição, que tinha 220 homems, deixa Brest em Agosto de 1785 com dois navios, o Boussole e o Astrolabe, barcos mercantes de 500 toneladas remodelados como fragatas para esta ocasião.
Entre os participantes na expedição, havia numerosos cientistas: um astrónomo, um médico, três naturalistas, um matemático, três desenhadores e sacerdotes que contavam con uma formação técnica. A expedição tinha vários objectivos: geográficos, científicos, etnológicos, económicos (prospecção das possibilidades de caça de baleias ou de peles), mas também tinha objectivos políticos e pretendia estabelecer bases francesas ou de cooperação colonial com os aliados espanhóis (nas Filipinas). Assim o que se lhe propôs foi um programa de exploração planetário no Pacífico Norte e no Pacífico sul, incluindo as costas do Extremo Oriente e da Austrália.
Em 1787 chega a Macau, onde vendeu as peles que tinha comprado no Alaska e efectuou reparações nos navios. Seguiu depois em direcção às Filipinas. Em 1788 acabou por naufragar na costa australiana. Não foi mais visto nem ele nem nenhum dos seus homems. Em 2005 identificaram-se registos do naufrágio. Felizmente, meses antes, em Sidney, entregou os seus diários e cartas para que chegassem à Europa.

Sem comentários:

Publicar um comentário