quarta-feira, 6 de maio de 2009

Ensino em 1965

escola Kwong Tai
escolas primárias
escola comercial
liceu
colégio S. José
colégio D. Bosco
Em Dezembro de 1965 havia, nos 276 institutos de ensino de Macau, que dispunham de 2287 professcres, 58 234 alunos, número considerável para uma população de cerca de 250 mil habitantes. A notar um ponto especial: o ensino na província é predominantemente particular.
As modalidades existentes incluem, dentro do plano oficial, o ensino infantil, o primário, o secundário e o médio, além dos institutos para a formação dos quadros dos serviços públicos, do ensino artístico e do eclesiástico. Nas escolas chinesas ministra-se o ensino 'estranho' ao plano oficial, que compreende os graus primário, secundário e especial.
O ensino infantil destina-se a crianças de mais de 4 anos e é facultativo. Em Dezembro de 1965 havia l jardim-escola oficial, com 4 professores e 104 alunos, e 26 escolas particulares missionárias, com 96 professores e 3630 alunos, de frequência predominantemente chinesa.
O ensino primário do plano oficial, de moldes expressos na Reforma do Ensino Primário no Ultramar, de 1964, é ministrado em escolas do Estado e particulares. As primeiras eram, naquele mesmo ano lectivo, 8, com 76 professores para 1347 alunos; as escolas particulares missionárias eram 29 com 354 professores e 12 641 alunos, quase todos de nacionalidade chinesa.
O ensino liceal é ministrado num liceu oficial, frequentado por portugueses, com a frequência de 318 alunos e 28 professores, e em mais 39 escolas particulares, das quais 24 são chinesas e 15 missionárias; em Dezembro de 1965 as escolas particulares tinham um total de 9125 alunos e 555 professores. Há, ainda, cursos comercial e industrial frequentados por portugueses, com a frequência de 570 alunos e 33 professores, e um instituto particular de ensino técnico profissional de frequência chinesa, com 22 professores, e com a frequência de 208 alunos.
O ensino médio iniciou-se na província com a criação da Escola do Magistério Primário pelo Decreto n.º 46 616, de 13-11-1965, que se destina à preparação de professores primários. No ano lectivo de 1965/66 dispunha a referida Escola de 8 professores, tendo-a frequentado 5 alunos.
O curso de magistério primário particular chinês de grau médio decorre no Colégio de S. José, que, em Dezembro de 1965, teve -85 alunos, leccionados por 13 professores.
Para a formação dos quadros dos Correios e Telecomunicações houve, naquele ano lectivo, um curso de 7 professores e 7 alunos, e, para os quadros de Saúde e Assistência (enfermagem), dois cursos, com 33 professores e 115 alunos, na maioria chinesa.
O ensino artístico está representado pela Academia de Música Pio X, que dispunha de 8 professores para 85 alunos, quase todos chineses. O ensino eclesiástico de religião católica tinha, num seminário, 28 professores e 78 alunos.
No mesmo ano lectivo, as 149 escolas primárias chinesas foram frequentadas por 28 846 alunos, leccionados por 956 professores. As escolas secundárias (liceais e tecnico-profissionais) também chinesas, em número de 37, tiveram, para 414 professores, 5630 alunos. O ensino especial foi ministrado num instituto -- o Centro de Reabilitação de Cegos -- com 3 professores e 16 alunos, todos chineses.
Há também em Macau um Conselho Provincial de Educação Física, que promove a expansão e disciplina as actividades gimno-desportivas da província.
Afecta aos Serviços de Educação, funciona a Comissão Provincial de Bolsas de Estudo, Passagens e Residência de Estudantes e de intercâmbio cultural, criada pelo Decreto n.º 46 935, de 1-4-1966, sendo porém, de notar que as primeiras bolsas de estudo para cursos médios ou superiores na Metrópole datam de 1922.

Sem comentários:

Publicar um comentário