terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Madre Adolfa Rosa (1925-2019)

O Colégio de Santa Rosa de Lima* começou por ser uma casa de acolhimento de meninas órfãs. No período que se seguiu ao final da segunda guerra mundial passou a aceitar rapazes até à então chamada "quarta classe".
No jardim de infância e na instrução primária eram várias as madres que assumiam a função de professoras tendo educado centenas de portugueses e/ou macaenses. Entre as que mais se destacaram nesse papel figuram os nomes da Madre Pia e da Madre Adolfa Rosa, que morreu esta semana em Macau aos 94 anos.
* Isabel Flores y Oliva, ficou conhecida como Santa Rosa de Lima, mística da Ordem Terceira Dominicana, foi canonizada pelo Papa Clemente X em 1671 e a primeira santa nativa da América e padroeira do Perú.
O edifício anterior ao mostrado em cima numa foto de ca. 1900 por Man Fook
Breve história:
Segundo o Boletim Informativo "Macau" de 1956:
“Os estatutos e regulamento para o Colégio de Santa Rosa de Lima como casa de educação para o sexo feminino, foram publicados em 1875 pelo governador José Maria Lobo d´Ávila (portaria n.º 23 de 18-02-1875) após a extinção do mosteiro de Santa Clara.
O ensino ministrado nesse colégio era o elementar, ou instrução secundária que compreendia: línguas portuguesa, francesa e inglesa; história sagrada; desenho; música de canto e piano; educação física; higiene e economia doméstica. A pedido do bispo D. António Joaquim de Medeiros, as Irmãs Canossianas tomaram conta desse Colégio em 1889, dirigindo-o até 1903.
Convidadas pelo bispo D. João Paulino de Azevedo e Castro, as Franciscanas chegaram a Macau a 17 de Novembro de 1903, instalando-se no Mosteiro de Santa Clara e tomando a direcção do Colégio. Ambos os edifícios lhes foram cedidos pelo Governo juntamente com os bens do antigo Mosteiro e do antigo Recolhimento de S. Rosa de Lima (o recolhimento fechou em 1875 após o falecimento da última clarissa).
A 30 de Novembro de 1910, o Governo ordenou a saída das Franciscanas do Colégio, o qual era então frequentado por 130 alunas de diferentes nacionalidades, sendo muito delas internas. A escola foi confiada a pessoal leigo a 7 de Janeiro de 1911, ficando reduzida a 40 alunas.
A 10 de Dezembro de 1911, foi arrendado o edifício do antigo Mosteiro de Santa Clara para aquartelamento e tropas expedicionárias, determinando-se que o Colégio de S. Rosa de Lima passasse para outro edifício particular; felizmente esta medida não pegou, continuando o colégio sob a direcção de pessoal leigo. Em 1932, voltaram as Franciscanas a dirigir o Colégio. A secção chinesa iniciou-se em 1933." 
Em 1975 o curso de inglês passou para a Escola Matutina. A instrução primária em língua portuguesa funcionou até 1999.


Sem comentários:

Publicar um comentário