terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Baía da Praia Grande no final do século 19

Em cima uma fotografia da baía da Praia Grande no final do século 19 que muito provavelmente terá inspirado o quadro na imagem abaixo. Entre alguns elementos que permitem datar os registos estão o Grémio/Clube Militar (1870), o Hospital Militar S. Januário (1874) e o Farol da Guia (1865). Dos dois registos não consegui encontrar até agora referências sobre o autor. 
Fica aqui o convite para o regresso a Macau no final do século 19 segundo o testemunho do Conde de Arnoso que chegou ao território a 23 de Junho de 1897: "Embarcados na canhoneira Rio Lima, levantámos ferro do porto de Hong-Kong, pelas oito horas da manhã do dia 23 de Junho, em direcção a Macau. Navegando contra vento e corrente, cinco horas levámos a percorrer as quarenta milhas que separam as duas cidades. Pela uma hora da tarde entrávamos na rada em frente da Praia Grande. Com respeito e orgulho olhámos para essas águas, que foram sepultura dum antepassado nosso, Jorge Pinheiro de Lacerda que, pelejando ali, pelos tempos da restauração da casa de Bragança, contra os holandeses, e cedendo o esforço à multidão dos contrários, como refere o cronista, se matou deitando fogo ao paiol do navio depois de lhe arrancar os sinais do triunfo já arvorados nos mastros. Volvidos mais de dois séculos, é-nos grato a nós, que vimos de igual sangue e usamos do mesmo apelido, aportar às mesmas águas num navio da marinha portuguesa com oficiais que, em circunstâncias semelhantes, não hesitariam um só momento entre o render-se e morrer".

Sem comentários:

Publicar um comentário