sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Caça em "território chinez": 1911

Em Fevereiro de 1911 a Secretaria Geral do Governo da Província de Macau publica no Boletim Oficial um aviso dirigido especialmente à "attenção de todos os o indivíduos que costumas ir caçar para fora dos territórios da colónia, para a conveniencia de o não fazerem, quando tencionem caçar em territorio chinez, sem irem munidos do passaporte respectivo." Refira-se que nesta época a caça (bem como a pesca) eram actividade lúdicas que se efectuavam também em Macau e nas ilhas da Taipa e Coloane.
Na obra "Os Dores", da autoria de Henrique de Senna Fernandes e publicada após a sua morte, aborda-se o tema. O livro começa assim... "Era uma tarde triunfal de sol, naquele dia de Outono de 1908. O Verão de S. Martinho continuava luminoso, o céu sempre límpido, sem um cisco de nuvem. O canal, entre as ilhas da Taipa e Coloane, fulgia de miríades de cintilações, a paisagem circundante muito nítida, como se desenhada a lápis. Soprava uma viração seca, de temperatura vivificante, tão longe das agruras da canícula. Recolhida a vela, a embarcação deslizou na enseada de Seak Pai Ván, para fundear na linha da praia, onde as águas subiam e desciam mansamente. (...) Dos cinco passageiros que tinham alugado a embarcação de recreio para a pesca à linha ou à cana, ao largo de Macau, quatro saltaram para terra, mergulhando as pernas na onda ligeira" (...)

Sem comentários:

Publicar um comentário