sábado, 17 de maio de 2014

Combate de Kung Fu na Piscina Municipal (1954)

Fotografia de Tam Kai Hong em 1954

Torneio de lutas - wu chen, arte marcial - é a legenda desta fotografia num ringue improvisado nas piscinas municipais.
"A luta épica de Ng Gong Yee e Chan Hak Fu ocorreu em Janeiro de 1954 e foi evocada no início de 2014 em Macau como noticiou o jornal Ponto Final na sua edição de 27.1.2014 num artigo de Iris Lei.
Cerca de 800 aficionados das artes marciais marcaram presença ontem na Piscina do Estoril, junto ao Tap Seac, para testemunharem a repetição do combate em memória dos mestres chineses de artes marciais Ng Gong Yee e Chan Hak Fu, realizada há 60 anos.
No tatame construído sobre a água da piscina, à semelhança do que aconteceu há mais de uma década, perante o comité de organizadores, nos quais se inclui o empresário Kuan Vai Lam, actuaram praticantes de Tai Chi, Shaolin Kungfu, Wing Chun e, também, da dança do leão. O combate revivalista teve como protagonistas o atleta de artes marciais local Leong Hong Man, como Chan Hak Fu, e Lou Kuok Meng, no papel do mestre de Tai Chi, Ng Gong Yee.
“Não há extravagância” numa luta de kunfgfu ao vivo, disseram os dois lutadores. Mas, de maneira a introduzirem entretenimento e não apenas história, os atletas acrescentaram alguns elementos dos seu próprio estilo para tornar o espectáculo mais do que “uma mera imitação da epopeia de luta” de há 60 anos.
No meio da multidão, o senhor Tam, faz questão de se juntar ao espectáculo da repetição do combate. Na época do combate épico tinha três anos, mas ainda se lembra de alguns detalhes. “O tatame é semelhante, mas o ambiente é completamente diferente”, diz o senhor Tam, cujo neto também o presenteou com o gosto pelas artes marciais.
Outro elemento do público, senhor Chan, 81 anos, ainda se recorda de estar a andar de bicicleta em redor da Piscina do Estoril durante o combate. “Eu podia sentir o ambiente e ouvir a alegria do público, apesar de estar lá fora. Foi um grande evento à época, com a presença de muitas super-estrelas”. Lam Chi Chio, nos seus cinquentas, não assistiu pessoalmente à luta, mas sabe os pormenores só de ouvir os amigos contarem. Lam espera que este evento ajude a promover as artes marciais, especialmente no seio da geração mais jovem, que precisa de cultivar “o hobby certo”.
Há mais de seis décadas, o mestre de Tai Chi, Ng Gong Yee, e o mestre do estilo Garça Branca, Chan Hak Fu, foram convidados por Ho In – pai do primeiro Chefe do Executivo da RAEM, Edmundo Ho – para o combate na Piscina do Estoril, para a recolha de fundos destinadas às vítimas de um incêndio que aconteceu em Hong Kong na altura.
De acordo com as notícias da época, apesar de ambos os atletas serem aclamados como “imbatíveis”, e de Ng ser bem conhecido e reputado no círculo do kungfu, Chan, que tinha então pouco mais de 30 anos, sendo mais jovem, era tido como o atleta com maiores capacidades de dominar o combate. Acontece que ambos acabaram por se lesionar. “Sem vitória, não há perda nem sorteio”, foi o resultado anunciado então por Ho In no final do combate. A epopeia de luta ajudou, então, a recolher fundos, mas também a impulsionar a criação de novos heróis de artes marciais na literatura, destacando-se “O Livro e a Espada”, a primeira publicação de Jin Yong, e os romances de Liang Yusheng, considerado o pioneiro de histórias sobre grandes mestres de artes marciais do século XX."
O combate aqui referido fez parar a cidade. Foram aos milhares os que quiseram assistir. O evento contou com a presença da maior autoridade do território, o Governador, e foi a sua mulher que 'inaugurou' a cerimónia. O Hotel Estoril (ficava - e fica já que está ao abandono mas não foi demolido - na parte da frente) foi inaugurado em 1963 e foi o primeiro casino da STDM de Stanley Ho em Macau. As piscinas foram inauguradas em Junho de 1952
 O clube/casino Sun Fa Yuen antes de surgir o hotel Estoril
Link para um filme de ca. 10 min.

Sem comentários:

Publicar um comentário