sábado, 28 de março de 2009

Ruínas de S. Paulo - final década de 1950


As Ruínas de S. Paulo constituem a fachada do que originalmente era a Igreja da Madre de Deus, contígua ao Colégio de S. Paulo. A estrutura original da igreja remonta a 1565, enquanto o colégio foi construído em 1594. Este colégio pautava-se por um programa académico de nível superior, tornando-se na primeira Universidade do Extremo Oriente.
Em 1595 e depois em 1601, a igreja ficou totalmente destruída pelas chamas, tendo sido, em 1602, reconstruída uma terceira vez. Os trabalhos de reconstrução continuaram entre 1637 e 1640, sendo a fachada que se conhece hoje a última parte a ser concluída. Em 1835, um incêndio de grandes proporções destruiu a totalidade do complexo, incluindo o Colégio de S. Paulo e a Igreja da Madre de Deus, restando apenas o lanço de degraus em granito, uma grande parte dos alicerces e a impressionante fachada em granito, actualmente conhecida como “Ruínas de S. Paulo”. De 1837 a 1854, o local foi utilizado como cemitério para missionários.

Sem comentários:

Publicar um comentário