domingo, 4 de agosto de 2019

Aclamação de D. Pedro V e incêndio no bazar no L'Illustration de 15 Março 1856

Na edição de 15 de Março de 1856 o jornal "L'Illustration jornal universele" - imagem abaixo - dava conta das celebrações em Macau da aclamação do rei D. Pedro V com uma ilustração da "iluminação do palácio do consulado brasileiro em Macau" e uma outra com a legenda "Vista da Praia Grande" preservada do grande incêndio que atingira o território em Janeiro desse ano. 
“A Illustração Luso-Brasileira” de 1856, num artigo assinado por Carlos Caldeira e com a mesma ilustração, informava assim: “Em 4 de Janeiro pelas duas horas da tarde, manifestou-se fogo no centro do bazar, ou bairro chinez, numa loja ou botica, como lá se dizem. O vento forte, que soprava rijo, espalhou-se rapidamente: às 5 horas rondou para leste, e algum tempo depois voltou ao norte, o que fez com que as chamas avançassem em todas as direcções. O incêndio durou até às 11 do dia seguinte. Arderam umas 1500 casas entre grandes e pequenas, incluindo mais de 600 lojas. As propriedades e valores perdidos sobem a mais de um milhão de patacas, ou para cima de 1000 contos. Houve também alguma perda de vidas."
A 16 de Setembro de 1855, quando fez 18 anos, Pedro V (1837-1861) - filho de Maria II e Fernando II - foi aclamado rei tendo ascendido ao cargo dois anos antes. Dedicou-se com afinco ao governo de Portugal sendo apelidado de "o Esperançoso" e "o Muito Amado", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1853 até sua morte.
Em Macau existe um teatro com o nome D. Pedro V, edifício construído em 1860, o primeiro teatro de estilo ocidental na China.

Sem comentários:

Publicar um comentário