terça-feira, 15 de setembro de 2020

Relatório do Serviço de Saúde... relativo ao anno de 1886


Excerto de um longo relatório (10 capítulos) da autoria José Gomes da Silva, chefe do Serviço de Saúde de Macau e Timor, relativo a 1886 feito a 2 de janeiro de 1887e publicado em várias edições do Boletim da Província de Macau e Timor nesse mesmo mês e no mês seguinte. Gomes da Silva começa por escrever:
"A provincia de Macau e timor, geograficamente considerada, é incontestavelmente a provincia mais absurda que Portugal possue; e difícil será encontrar-se no mundo político outro absurdo geográfico do alcance d'Este". 
A referência é, claro, à distância entre as duas províncias: mais de 600 léguas em linha recta numa viagem que em barco a vapor, com escala nas filipinas, demorava entre 8 a 12 dias, mas "as viagens ordinnarias pelos paquetes da mala hollandeza e por via de Java, dispendem de 80 a 48 dias".
O relatório inclui informações sobre Topographia, meteorologia, história natural, anthropologia, hygiene publica, hygiene privada, nosologia, necrologia, serviço de saúde, estatística e catalogo de plantas das duas províncias. Entre as informações prestadas refere-se o último censo realizado, em 1878, com um total de 68 mil habitantes. Gomes da Silva é muito crítico na avaliação que faz do estado da saúde em Macau, quer nos edifícios quer nos serviços prestados, apontando o dedo não só ao Leal Senado como também ao governador, Firmino José da Costa.



Sem comentários:

Publicar um comentário