quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Monumento a Alexandre Herculano

Em 1881 o Boletim Oficial de Macau publicava relação nominal das personalidades de Macau que contribuíram para a construção do monumento a Alexandre Herculano. A soma angariada em Macau foi enviada a João Maria Galhardo (1837-1909), oficial da marinha portuguesa e tesoureiro da comissão executiva encarregue de construir o monumento.
“Joaquim José da Graça, $10.00; o Leal Senado da Câmara, $10.00; Manuel Bernardo de Sousa Enes, 5.00; Eduardo Alfredo Braga de Oliveira, 5.00; José Alberto Homem da Cunha Corte Real, 4.00; António Emílio de Almeida Azevedo, 4.00; João Correia Pais d’Assumpção, 1.00; António Joaquim Garcia, 1.00; Lúcio Augusto da Silva, 3.00; Francisco Augusto Ferreira da Silva, 1.00; Raimundo José de Quintanilha, 5.00; Demetrio Cinatti, 2.00; António Talone da Costa e Silva, 1.00; Barão do Cercal, 3.00; António Joaquim Bastos Júnior, 2.00; Pedro Inácio do Rio Carvalho, 2.00; Francisco Tomás de Brito Soares, 1.00; Amaro Justiniano de Azevedo Gomes, 1.00; Francisco Bernardino Carvalho, 1.00; José da Cunha Lima, 1.00; Malaquias António Pinto, 1.00; Joaquim da Silva Gomes, 1.00; Bernardino de Senna Fernandes, $10.00; Pedro Nolasco da Silva, 1.00; Eduardo Marques, 1.00; Câncio Jorge, 1.00; José Bernardo Goulart, 1.00; Evaristo Lopes, 50; Cornélio de Sousa Placé, 30; Clementino Vicente Lopes, 50; Caetano Maria Dias Azedo, 1.00; Iong Lim, 1.00; Vicente Saturninho Pereira, 1.00; Simplício António Tavares, 1.00; Francisco Pedro Marques, 50; Francisco de Paula Rodrigues, 50; Holokuae, 5.00; Francisco Xavier, 3.00; Chon Ec Chiom, 2.00; Carlos Alberto Feyo Folque, 1.00; Ricardo de Sousa, 1.00; Tomás de Aquino Miguéis, 1.00; Manuel Joaquim dos Santos, 50; Pedro Ricardo da Silva Saturninho, 2.00; José Maria da Luz, 20; José Manuel Sacoto Galache, 1.00.
=Total, Patacas $102.00. Macau, 1 de Agosto de 1881.
A soma acima de $102 foi remetida ao exmº. snr. João Maria Galhardo, tesoureiro da comissão executiva, encarregado da erecção de um monumento a Alexandre Herculano, em uma letra à vista de Hongkong & Shanghai Banking Corporation sobre Londres do valor de Libras 18,146. D. C. Pacheco, Presidente do Leal Senado”.
Entre os muitos nomes desta lista destaque para João Correia Pais d'Assumpção, o Barão do Cercal, o Conde Bernardino de Senna Fernandes, Pedro Nolasco da Silva, Eduardo Marques, entre outros, incluindo o próprio Leal Senado que fez um donativo de 10 patacas.
Em 1896 esta comissão ainda existia e tanto quanto sei só muitos anos depois a estátua veria a luz do dia. Da autoria do escultor português Salvador Barata Feyo foi erigida por iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa a 28 de Maio de 1950 - foto ao lado - juntamente com outras três peças (estátuas de Almeida Garrett, Feliciano Castilho e Oliveira Martins) na Av. da Liberdade.
O apelido Galhardo tinha ligações familiares a Alexandre Herculano. Recorde-se que Eduardo Augusto Rodrigues Galhardo (1845-1908), nomeado Governador de Macau em 1897, era sobrinho de Alexandre Herculano (1810-1878).
A sua actividade política, defensor das ideias liberais, leva-o para fora de Portugal. Foi nomeado segundo bibliotecário da Biblioteca do Porto, por decreto de 17 de Julho de 1833. A obra que vai transformar Alexandre Herculano num dos portugueses de destaque do século XIX é a sua História de Portugal, cujo primeiro volume é publicado em 1846. A Academia das Ciências de Lisboa nomeou-o seu sócio efectivo em 1852 e encarregou-o do projecto de recolha dos Portugaliae Monumenta Historica, projecto que empreende em 1853 e 1854.

Sem comentários:

Publicar um comentário