terça-feira, 23 de maio de 2017

Projecto para um banco em 1864


Na edição de 17 de Março de 1864 o Ta-Ssi-Yang-Kuo, "semanário macaense d'interesses publicos locaes, litterário e noticioso" publica um artigo que tem como título "Projecto para um banco em Macau". 
Curiosamente, pouco tempo depois, por Carta de Lei de 16 de Maio desse ano, seria criado em Portugal o Banco Nacional Ultramarino com o "exclusivo da fundação e administração de instituições bancárias nas províncias ultramarinas, excepto em Macau".
Goradas as expectativas locais só quase 40 anos depois, a 30 de Novembro de 1901, o governo de D. Carlos assina com o BNU "um contrato para o exercício do privilégio da emissão de notas e de obrigações prediais nas províncias ultramarinas", não se excluindo Macau: "O Banco obriga-se no prazo máximo de 90 dias, que começará a contar-se da data de assinatura do presente contrato, a ter estabelecidas caixas filiais em Luanda, Benguela, Nova Goa, S. Tomé, S. Tiago de Cabo Verde e Lourenço Marques, agências em S. Vicente de Cabo Verde, Moçâmedes e Moçambique; e, no prazo máximo de 6 meses, ter estabelecidas agências na Ilha do Príncipe, Bolama, Cabinda, Inhambane, Quelimane e Macau; e no prazo de um ano a ter agência em Dili".

Em Agosto de 1902 o BNU abriu a primeira filial em Macau, sendo o seu primeiro gerente Félix D. Costa. Funcionada num edifício na av. da Praia Grande junto ao Palácio do Governo.
Curiosidade: Em 1899 João Feliciano Marques Pereira fundou a revista ”Ta-Ssi-Yang-Kuo, archivos e annaes do Extremo-Oriente Português” que foi publicada até 1903. O título, como se pode verificar, foi inspirado no jornal referido neste post e que foi fundado pelo pai de JFMP, António Feliciano Marques Pereira, em 1863, (e tb por José Gabriel Fernandes) curiosamente no ano do nascimento de JFMP. O semanário durou até 1866, após 134 edições.

Sem comentários:

Publicar um comentário