sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Voyage pittoresque autour du monde (1834)


Algumas das ilustrações feitas por Louis Auguste de Sainson para o livro editado em 1834. Praia Grande, gruta de Camões, zona da Penha e Porto Interior.
O contra-almirante francês Jules Sébastien César Dumont d'Urvillle (1790-1842) começa a sua carreira como botânico e linguista e em 1807 integra a tripulação do L'Aquillon, onde inicia a sua formação profissional como 'noviço' até se tornar aspirante em 1809. Em 1821, sendo já tenente, planeia, juntamente com Louis Isadore Duperrey, uma expedição científica nos oceanos Atlântico e Pacífico, que vem a acontecer a bordo da corveta Coquille, comandada por este último, sendo d'Urville segundo-comandante.
A viagem inicia-se em Agosto de 1822 e dura três anos, chegando a Marselha em Janeiro de 1825. D'Urville parte de novo, em Abril de 1826, encarregue de encontrar o paradeiro da expedição do conde de Lapérouse, desaparecido há cerca de 38 anos durante a sua circum-navegação. A Coquille é rebaptizada de l'Astrolabe em honra do barco de Lapérouse, descobrindo d’Urville os destroços da embarcação que dera nome à sua num recife das ilhas Vanikoro, regressando a Marselha em 25 de Março de 1829. A narrativa da viagem é paga pelo Ministro da Marinha, sendo publicada em Paris no ano de 1835: Voyage de la corvette l'Astrolabe éxécuté par ordre du roi, pendant les années 1826, 1827, 1828, 1829 (13 vols.). Aos 50 anos, e após a sua última viagem, em 1840, o já contra-almirante d'Urville recebe, da Sociedade de Geografia francesa, uma medalha de ouro.

Sem comentários:

Publicar um comentário