terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Falsifcações de cédulas de 10 patacas no início do séc. XX


Na frente desta cédula pode ler-se: "O Thesoureiro da agência em Macau pagará à vista ao portador "dez patacas" em moeda corrente. Valor recebido. Neste caso, a cédula tem a data de Janeiro de 1922, é assinada pelo gerente, Guilherme de Meneses.


Estas cédulas foram falsificadas em meados da década de 1920.  Cerca de mil de um total de seis mil não foram apreendidas. Surgem com a assinatura de um dos gerentes do BNU na época e a numeração vai dos 10 000 aos 30 000 e pouco. O papel é bastante mais grosso, baço e rugoso, as cores mais avermelhadas e o fundo esverdeado em vez do verde escuro original. Além de diferenças no tipo de numeração (mais pequena), a prova definitiva reside num erro no selo branco. Em vez de "Colonias Commercio e Agricultura", surgem as palavras "Coloinas" e "Agrioutura". 
Estas cédulas, à semelhança de outras, foram usadas até à década de 1940, incluindo em Timor, onde eram exactamente iguais sendo-lhes acrescentado a expressão "o Thesoureiro da filial Dili" e um carimbo com as palavras Dili-Timor, como se pode verificar na imagem abaixo.
Nota: O blogue entra em 2015 no seu 7º ano de existência e ultrapassando a barreira dos 700 mil visitantes. Grato pela preferência, renovo a promessa de continuar a divulgar a história de Macau. Bom ano!

Sem comentários:

Publicar um comentário