sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Macau no "Edle nacktheit in China" de 1928

Foi via Macau que a fotografia chegou à China pela primeira vez em 1844 com Jules Itier.

O território viria ainda a ser pioneiro nos nus artísticos na China. Foi na década de 1920 com as mulheres chineses a serem fotografadas nos bordéis da Rua da Felicidade. O feito deve-se ao alemão Heinz von Perckhammer que esteve no território e passou tudo parta livro editado em 1928 com o título "Edle Nacktheit in China" (A Cultura do Nú na China).
Perckhammer nasceu em Merano, no então império austro-húngaro (hoje cidade italiana), a 3 de Março de 1895. Na Primeira Grande Guerra integrou a guarnição do vapor “SMS Kaiserin Elisabeth” que participou no cerco de Tsingtao, tendo sido feito prisioneiro de guerra pelos japoneses. Libertado em 1919, Perckhammer permaneceu na China durante alguns anos e foi nessa época que visitou Macau onde tirou o que se pode classificar como 'arrojadas fotos' para época de mulheres chinesas bastante jovens, muito provavelmente as chamadas jovens cortesãs (pei pa chai, em cantonense*) que viviam na Rua da Felicidade, uma zona de prostituição.**
As fotos seriam publicadas num livro polémico em 1928. No ano seguinte Perckhammer assume-se como fotojornalista no semanário ilustrado berlinense “Die Woche” e acompanha o dirigível LZ 127 Graf Zeppelin na sua volta ao mundo. Em 1932 tem estúdio próprio em Berlim e volta a focar-se nos nus e no que hoje se pode classificar como fotografia de moda. No final da década de 1930 algumas das suas fotos são usadas na propaganda do KdF (Kraft Durch Freude), movimento de massas patrocinado pelo partido nazi, e durante a Segunda Guerra Mundial Perckahmmer serve nas Waffen-SS como fotógrafo de guerra.
Paradoxalmente os nacional-socialistas colocariam a sua obra de 1928 na denominada “lista de escritos nocivos e indesejáveis”, fazendo com que hoje em dia restem poucos exemplares. O estúdio de fotografia seria bombardeado em 1942 e depois da guerra Perckhammer regressa a Merano onde vive até morrer à sua morte, a 3 de Fevereiro de 1965. Actualmente, Heinz von Perckhammer é considerado um dos “grandes fotógrafos alemães desconhecidos”.

Capa do livro editado em 1928: "A Cultura do Nú na China":
considerada a primeira publicação de fotografias eróticas da China
Perckhammer was born in Merano, Austria-Hungary (now Italy) on 3 March 1895. In the First World War he served aboard the SMS Kaiserin Elisabeth during the Siege of Tsingtao and from 1917 to 1919 was a Japanese prisoner of war. He remained in China for several years after his release. In 1928 two volumes of his photographs were published in Berlin: one of carefully posed Chinese nudes, many taken in Macao brothels, under the title "Edle nacktheit in China" (The Culture of the Nude in China), and one of Beijing street photography, as Peking. In 1929 he accompanied the airship LZ 127 Graf Zeppelin on its round-the-world tour, as a photojournalist for the Berlin illustrated weekly Die Woche.

By 1932 Perckhammer had established a studio in Berlin, where his work included nudes and fashion photography. In the late 1930s some of his images were used as propaganda for the Strength Through Joy movement, and during the Second World War he served as a war photographer attached to the Waffen-SS. His studio in Berlin was bombed out in 1942, and after the war he returned to Merano. He died on 3 February 1965.
* Literalmente, pei pa chai significa jovem rapariga que toca pipa, instrumento musical tradicional chinês de quatro cordas. Estas raparigas eram ensinadas desde muito novas a entreter, de forma elegante, os convidados, mas também aprendiam poesia, desenho e xadrez. Após a adolescência e depois da aprendizagem tornavam-se cortesãs acompanhando os clientes.
** Em cantonense, Fa Kai, bairro vermelho ou, no sentido literal, a Rua das Flores.

Sem comentários:

Publicar um comentário