sexta-feira, 29 de setembro de 2017

A ponte das nove curvas

Provavelmente um dos mais bonitos jardins de Macau (e são cerca de uma dezena no total) o Jardim Lou Lim Ieoc é o único verdadeiramente de estilo chinês. Foi mandado construir nos primeiros anos do século XX pelo comerciante Lou Cheok Chin (1837-1906) que se fixou em Macau por volta de 1870. Por essa altura contratou em Cantão os serviços de dois profissionais, Lau Kat Lok e Lei Tat Chun, especialistas em jardinagem.
A zona - do Tap Seac - era na época pantanosa e os lagos abundantes e o seu projecto passava pela construção de um jardim chinês ao estilo do século XIV, da zona de Suzhou. Baptizado de Jardim das Delícias, acabou por ficar conhecido pelo nome do seu proprietário ou do seu primogénito, comummente designado por Jardim do Lou Kau ou Jardim do Lou Lim Ieoc. Actualmente ocupa uma área de pouco mais de 1 hectare, cerca de metade da inicial, pois após a morte de Lou Lim Ioc os seus descendentes alugaram, em 1938, parte do jardim à escola Pui Cheng e mais tarde à Escola Leng Nam. A partir de 1951, uma grande parte da sua área foi urbanizada. 
Em 1973 foi adquirido pelo governo de Macau aos descendentes da família Lou. Depois de totalmente recuperado, abriu ao público a 28 de Setembro de 1974. Está repleto de recantos e lagos onde se evidenciam os nenúfares e flores de lótus. É usado para passeios sendo habitual os utilizadores tocarem instrumentos musicais ou praticar Tai-Chi. 
Outra das imagens de marca deste espaço são as gaiolas tradicionais chinesas com pássaros lá dentro e que os seus proprietários levam a passear. Ao contrário do que é habitual nos jardins tipicamente chineses, neste, a ponte que atravessa o lago, não é feita em linha recta. Antes, pelo contrário, é às curvas, num total de nove. Segundo a tradição, quem passar pelas curvas da ponte, deve formular um desejo, pois verá esse desejo transformar-se em realidade.

Sem comentários:

Publicar um comentário