sexta-feira, 15 de julho de 2016

Os Portugueses em Macau (1750-1800)

Sugestão de leitura (Macau na segunda metade do século 18): 
"Os portugueses em Macau (1750-1800): degredados, ignorantes e ambiciosos ou fiéis vassalos d' El-Rei?"
Da autoria de António Manuel Martins do Vale. Prefácio de Artur Teodoro de Matos. Edição Instituto Português do Oriente,
a dissertação de mestrado apresentada na Universidade de Macau, em Julho de 1994.
Índice: 
Organização Política e Administrativa: o Governador - o Ouvidor - o Senado; O Senado e a Sua Relação com a Administração - O Senado e o Governador: Uma Relação em Permanente Tensão - O Senado e o Governador da Índia: A Desconfiança Mútua - O Senado e o Governador do Reino: A Resistência às Reformas de 1783 - O Senado e Os Mandarins de Cantão: A Inevitável Acomodação ao Poder Qing - As Relações de Portugal Com Pequim - A tentativa de Esclarecer o Estatuto de Macau; Sociedade:  A População - A Maioria Chinesa - A Minoria Não Chinesa - Os Vassalos do Rei de Portugal - O Clero - O Clero Secular - As ordens Religiosas Masculinas - As Clarissas - O Terceiro Estado - Os Grandes Comerciantes - As Camadas Médias - Os Mais Desfavorecidos: Os Órfãos e as Viúvas - Os Estrangeiros; 
Economia: A Evolução Global da Economia (1750-1800) - As Conjunturas Económicas Financeiras - A Crise Económica Financeira de 1745 a 1760 - A Conjuntura Económica e Financeira de 1784 - 1799 A Estrutura Económica e Financeira - A Concorrência Estrangeira - A Perda de Navios - A Pulverizada Organização Mercantil de Macau - As Fugazes Relações Entre os Investidores Macaenses - A Concorrência Entre os Mercadores de Macau - A Administração da Fazenda Real: As Contas Públicas e a Criação da Alfândega - Os Capitais Movimentados Pelos Mercadores de Macau - Os Empréstimos Concedidos Pelo Senado - Os Empréstimos Concedidos Pela S. C. da Misericórdia - Outros Empréstimos: As Instituições Religiosas e os Mercadores Chineses - Os Portos e as Rotas Comerciais.

Sem comentários:

Publicar um comentário