quinta-feira, 21 de julho de 2016

Macau antigo nas obras de Eric Fok

Eric Fok, tido como um dos mais talentosos artistas plásticos da sua geração (nasceu em Macau em 1990), está por estes dias por Lisboa e resolveu fazer-me uma visita. Após o conhecimento virtual esta foi a primeira vez que estivemos frente-a-frente. Falámos de Macau, naturalmente, mas sobretudo da sua carreira, que me parece muito promissora e que merece ser 'acarinhada'.

Vem tudo isto a propósito de uma série de trabalhos de Eric Fok, intitulada Paradise 20 - distinguida com o Prémio Fundação Oriente de Artes Plásticas e escolhida para a Bologna Illustration Exhibition de 2013. Nestas obras é notório o trabalho meticuloso inspirado em mapas antigos que 'interagem' com construções mais recentes do território. E tudo isto com recurso à denominada caneta técnica que Eric domina com mestria e cuja companhia não dispensa, mesmo em férias. 
Eric já participou em exposições em Itália, Portugal, Estados Unidos, Japão, Singapura, Taiwan, Hong Kong e Macau. Numa mostra realizada na Fundação Rui Cunha em 2014, o curador, Chihong Choi referiu-se assim às obras de Eric Fok: “Com todo o capricho, sagacidade e sabedoria, Eric Fok experiencia nas suas obras uma intrigante combinação da “Skyline” e da cartografia, ele cruza o passado com o presente, junta o leste com o oeste, tornando a realidade e a imaginação inseparáveis. Casinos gigantescos, Torre de Macau erguendo-se enorme e engarrafamentos de tráfico ilustrando cada mapa antigo de Macau, são a forma como o artista eloquentemente articula suas preocupações em relação a esta pequena terra a que ele chama a sua casa”.
PS: num próximo post adiantarei mais detalhes sobre a vida e obra de Eric Fok.

Sem comentários:

Publicar um comentário